Blog
Almanaque

Alexandre Cherman

A Sociedade Planetária e Eu

Minha relação com a Sociedade Planetária é recente, confesso. E, por isso mesmo, sinto-me à vontade para falar dela. Não “faço parte da mobília”, digamos assim.

Cheguei aqui pelas mãos do José Roberto, editor do site Astronomia no Zênite, e Diretor de Comunicação da Associação Brasileira de Planetários, ABP. Pelo que sei (e espero não estar sendo injusto com ninguém), o José Roberto é o maior advogado de defesa que a Sociedade Planetária tem em terras brasileiras.

Na verdade, se entendi a cronologia de forma correta, a Sociedade Planetária só existe por conta dele. Antes de sua atuação, havia somente a matriz, a Planetary Society. Seu braço em português, neste espaço que aqui estamos, é obra e mérito do José Roberto.

Mas antes de eu entrar para a Planetary Society, e escrever aqui no blog da Sociedade Planetária (tudo, repito, culpa do José Roberto), ela, de alguma forma, já ocupava a minha mente. Ou, se não a Sociedade em si, pelo menos alguns de seus ilustres diretores.

The Science Guy foi exibido no Brasil como 'Eureka' na década de 1990.
The Science Guy foi exibido no Brasil como ‘Eureka’ na década de 1990.
Bill Nye. Quem o conhece, sabe que é impossível falar seu nome sem o obrigatório “the Science Guy”. Ele é um dos mais conhecidos popularizadores da ciência em terras anglófonas.

Junto com Beakman (do programa “O Mundo de Beakman”), Bill Nye me ensinou muitos truques e, sobretudo, acendeu em mim a vontade de saber mais e mais. Bill Nye é o CEO da Planetary Society.

Poster da Assembleia Geral da IAU no Rio de Janeiro.
Poster da Assembleia Geral da IAU no Rio de Janeiro.

O presidente da Planetary Society chama-se Jim Bell. Eu tive a honra de conhecer Jim em 2009, em pleno Ano Internacional da Astronomia. Por uma feliz coincidência, naquele ano a União Astronômica Internacional, IAU, em inglês) promoveu uma de suas Assembleias Gerais (que acontecem de três em três anos).

Além disso, mais feliz ainda, a reunião aconteceu no Rio de Janeiro! E, sorte das sortes, a programação de divulgação do Encontro, voltada ao público leigo, aconteceu aqui no Planetário do Rio. Jim Bell estava escalado para falar para o público sobre os rovers marcianos e o fez, com maestria e muito bom humor, em plena cúpula Carl Sagan, na Gávea, onde eu trabalho.

Depois disso, ainda encontrei com ele mais duas vezes (a última em 2012, quando ele aceitou fazer a palestra de abertura do XVII Encontro da ABP, em Foz do Iguaçu).

É… talvez eu não seja tão novato assim na Sociedade Planetária. Talvez apenas tenha demorado para eu ser oficializado como um “sócio”… ■

 

Traduções
A origem do 1º de abril