Blog
Selenotopografia

Vaz Tolentino

Tipos de formações presentes na superfície lunar (3ª parte)

Nos artigos anteriores falamos sobre as palavras em Latim que definem as formações presentes na superfície lunar. Como dissemos, essas palavras foram atribuídas a partir do Séc. XVII para definir os diversos tipos de feições presentes na Lua. Esse tipo de nomenclatura clássica permanece vivo até hoje.

Nesta última parte, continuaremos a apresentar alguns exemplos de cada tipo de formação lunar.

Exemplo: PALUS (pântano).


Palus EPIDEMIARUM
Palus EPIDEMIARUM. Foto executada em 27 de março de 2011, 05:30:42. Clique na imagem para ampliar.

Palus EPIDEMIARUM (Pântano das Epidemias) é uma região inundada por lava basáltica, localizado a sudeste do Mare HUMORUM e a sudoeste do Mare NUBIUM. A área ocupada por Palus EPIDEMIARUM é de aproximadamente 27.000 Km2.

Exemplo: Palus PUTREDINIS.


Palus PUTREDINIS
Palus PUTREDINIS. Foto executada pelo autor em 29 de maio de 2012, 19:53:25. Clique na imagem para ampliar.

Palus PUTREDINIS (Pântano da decadência) é uma região de lava escura localizada próxima da margem sudeste do Mare IMBRIUM, entre a grande cratera ARCHIMEDES e a cordilheira dos Montes APENNINUS. A cratera fantasma SPURR (diâmetro: 11 Km, profundidade: 100m, LAT: 27° 54′ 00” N e LON: 01° 12′ 00” E) localiza-se no interior da área de Palus PUTREDINIS.

Exemplo: PROMONTORIUM (cabo).


romontorium HERACLIDES e LAPLACE
Promontorium HERACLIDES e LAPLACE. Foto obtida em 04 de março de 2012, 21:43:51. Clique para ampliar.

Promontorium HERACLIDES é um cabo de montanhas baixas localizado no início dos Montes JURA (cordilheira) e na ponta sudoeste do Sinus IRIDUM (baía do arco-íris). Promontorium LAPLACE é um cabo com montanhas localizado no fim dos Montes JURA e na ponta nordeste do Sinus IRIDUM. Ambos os cabos adentram as lavas do mare IMBRIUM.

Exemplo: RIMAE (singular: Rima): Sistema de canais.


Palus PUTREDINIS
Rimae HPPALUS, GASSENDI, MERSENIUS, DE GASPARIS e PALMIERI. Foto executada pelo autor em 04 de março de 2012, 21:39:54. Clique na imagem para ampliar.

As centenas de quilômetros das redes de canais situadas no entorno do Mare HUMORUM: Rimae HIPPALUS, Rimae MERSENIUS, Rimae DE GASPARIS e Rimae PALMIERI. Os canais ramificados no piso interior da grande cratera GASSENDI são conhecidos como Rimae GASSENDI. Alguns canais que aparecem na imagem são de origem tectônica outros de origem vulcânica.

Exemplo: RUPES (escarpa).


Rupes RECTA (Straight Wall). Foto executada pelo autor em 29 de maio de 2012, 19:33:41. Clique para ampliar.

A surpreendente escarpa ou falha linear conhecida como Rupes RECTA, com 110 Km de extensão e altitude máxima de 400m (LAT: 22° 06′ 00” S e LON: 07° 48′ 00” W), localizada próxima da margem leste do Mare NUBIUM.

Exemplo: SINUS (baía).


Sinus AMORIS. Foto executada pelo autor em 10 de abril de 2012, 04:07:54. Clique na imagem para ampliar.

O Sinus AMORIS ou Baía do Amor, é uma grande região plana, pavimentada por lava basáltica escura, localizada a oeste do Mare CRISIUM. Essa baía estende-se por 250 Km na direção norte, a partir da borda nordeste do Mare TRANQUILLITATIS. Sinus AMORIS localiza-se nas coordenadas LAT: 18° 6′ 0” N e LON: 39° 6′ 0” E.

Exemplo: VALLIS (vale).


Vallis RHEITA. Foto executada pelo autor em 10 de abril de 2012, 04:07:54. Clique na imagem para ampliar.

Vallis RHEITA é o mais longo vale da face visível da Lua, apresentando 500 Km de comprimento e 30 Km em seu ponto mais largo (LAT: 42° 30′ 00” S e LON: 51° 30′ 00” E). É uma extensa formação orientada no sentido sudeste – noroeste, composta pelo alinhamento de muitas crateras justapostas e sobrepostas. Esse extenso e largo vale localiza-se no quadrante sudeste da face visível da Lua.

Vallis RHEITA posiciona-se de forma radial ao Mare NECTARIS, sugerindo que possa ter sua origem ligada à criação do Mare NECTARIS. Foto executada pelo autor em 08 de abril de 2012, 01:26:36.

Exemplo: Vallis ALPES.


Vallis ALPES. Foto executada pelo autor em 10 de abril de 2012, 04:07:54. Clique na imagem para ampliar.

Vallis ALPES (LAT: 48° 30′ 00” N e LON: 03° 12′ 00” E) é um vale com 180 Km de comprimento, orientado na direção sudoeste – nordeste, que “corta” os Montes ALPES como uma cicatriz, ficando estreito nas duas pontas. O Vallis ALPES cria uma espécie de corredor estreito de ligação entre os mares IMBRIUM e FRIGORIS, chegando a atingir até 17 Km de largura no seu ponto médio. Seu piso é plano e inundado por lavas provenientes do Mare IMBRIUM e do Mare FRIGORIS. Ao longo do comprimento de Vallis ALPES, no meio de seu piso, estende-se um estreitíssimo canal sinuoso, que é um desafio visual para os pequenos telescópios. Foto executada pelo autor em 20 de junho de 2010, 19:31:30. ■

 

Tipos de formações presentes na superfície lunar (2ª parte)
Ocultação pela Lua